Publicado em 10/01/2019 às 00h01m

Com esforço de Leandro, ceramistas comemoram liberação para trabalhar

 Os ceramistas de Anápolis já têm em mãos a liberação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente que permite que eles trabalhem na extração de matéria-prima, de acordo com as leis de preservação ambiental. A boa notícia faz parte do esforço do presidente da Câmara de Anápolis, Leandro Ribeiro (PTB), que enquanto secretário de Desenvolvimento Econômico de Goiás ajudou a destravar toda a burocracia que envolvia essa questão.

São duas lavras de terra na região da Vila Fabril que poderão ser utilizadas. O trabalho dos ceramistas dependia de uma liberação da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), em Goiânia. Os debates longe da realidade desses empresários aumentavam os tramites e não atendiam aos empresários.

Os membros da Associação das Indústrias Cerâmicas de Goiás, com uma sede na Vila Fabril, se reuniram com Leandro Ribeiro no dia 14 de junho de 2018 e apresentaram todos os detalhes da luta deles ao longo de quatro anos e meio sem a liberação.

“Nos organizamos para tentar ajudar os empresários. Mesmo assim, antes eram 25 indústrias, agora Anápolis conta com sete. Mas vamos recomeçar! Queremos trabalhar”, comemorou Donizete Ferreira, presidente da Associação dos Ceramistas de Goiás.

A expectativa é que o setor volte a crescer e proporcione mais desenvolvimento e geração de empregos na região da Vila Fabril, Lapa e Jardim das Oliveiras.

Atento a essa demanda que se arrastava há anos, Leandro Ribeiro, enquanto secretário de Desenvolvimento Econômico de Goiás, ao lado do responsável pela Secima na época, Hwaskar Fagundes, atendeu ao pedido de disponibilizar para o município a competência de emitir a autorização ambiental.

“Parabenizo o Donizete por essa dedicação em trabalhar pela Fabril e pelos ceramistas. As indústrias da região fabricaram os tijolos que saíram para a construção da capital federal, eram importantes para o desenvolvimento de todos os estados e com essa situação o bairro foi ficando abandonado. Mas juntos podemos resgatar a confiança do empresário e levar benefícios para a população”, disse Leandro Ribeiro.

O presidente do Legislativo ressaltou ainda que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente fez todo o estudo necessário e concluiu que as duas lavras que estão homologadas para a extração não afetam a APA do João Leite.

“Na licença concedida, exige que os ceramistas façam replantio de 10 mil mudas de árvore, a compensação no solo, ou seja, melhora para o Meio Ambiente e para toda a região”, observou.

O presidente da Câmara de Anápolis afirmou que irá continuar acompanhando, ajudando os ceramistas para que tudo seja documentado.

“Vamos mostrar o antes, durante e depois da extração para todos vejam que não tem efeito negativo e essa licença possa ser renovada para no mínimo 10 anos”, pontuou Leandro que lembrou que a permissão é de apenas quatro anos.

Além de ajudar no desenvolvimento na região, o trânsito nas estradas que liga Anápolis a Campo Limpo e Ouro Verde irá melhorar. 

“Fico feliz como agente político, seja como secretário de estado, ou presidente da Câmara, em ajudar no desenvolvimento da minha querida Anápolis”, falou.


NOTÍCIAS DA CIDADE